quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Está tudo bem.

O Equilíbrio da Vida passa por termos dias bons e dias menos bons. E é normal ser assim.

Basta aceitar o que vem e deixar ir. Porque tal como digo sempre, nada é fixo. Nada é permanente. E acima de tudo, nada é por acaso.

Ontem foi um dia menos bom para mim. Mas já passou. Passei a noite toda a ver filmes e a fumar cigarros. A pensar no passado. A pensar no que foi e já não é.

É normal sentir saudade. É normal ficarmos mal. Faz parte do caminho.
Hoje acordei mais bem disposta e com vontade de contrariar o dia de ontem.
Aceitar o que já não é mais e seguir em frente.

Logo vou fazer mais uma caminhada para aliviar o stress. Tem sido bom. 
Tem sido tudo bom.

No fundo só tenho mesmo é a agradecer tudo o que me tem acontecido. 

Está tudo bem. 🌷

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Somos Tempo. | Saudade.

Todos temos um tempo na Vida de alguém. Muito ou pouco tempo... mas é só e apenas tempo aquilo que damos. É só tempo o que somos. Tempo. Dedicamos tempo.

Dedicamos o nosso tempo a alguém ou a algo e é sempre temporário.
Como dizem os budistas, nada é fixo. Nada é permanente.

Por isso nunca nos podemos apegar a nada ou a ninguém. Porque tudo vai. Tudo flui. E em algum momento tudo deixa de ser aquilo que um dia já foi.

****

Saudade do tempo que tive uma auto caravana e um cão. Saudade do tempo que me sentia feliz acompanhada...

Em breve terei uma nova saudade. Da amiga que vai voar para longe e não tem data para voltar. 
Mas pelo menos volta. E eu vou lá sempre que der...

O problema é quando dedicamos tempo a algo ou a alguém e perdemos de vez...
Somos tempo. Damos tempo.

Acabou o tempo.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Sou um cacto.

Sou um cacto cheio de espinhos à volta.
Não consigo baixar as barreiras. Não consigo amar de novo.

Desisti do Amor (entenda-se: relacionamentos) vai fazer um ano. Quase que caía de novo mas rapidamente fugi a 7 pés...

Sou um cacto. Com espinhos à volta para me proteger.

Mas também sou Amor. Nisso não mudo! Para com a família e os amigos.

Mas não quero nem consigo voltar a Amar e a apaixonar-me. 
Nunca mais vou acreditar nos contos de fadas.

Desisti. E não há volta a dar...