domingo, 27 de dezembro de 2015

"Sou uma monja contigo."

Esta sempre foi para mim, sem dúvida, a época dos pensamentos mais estranhos e complexos do ano. A época do Natal e especialmente a passagem do ano. Para mim a passagem de um ano para outro sempre foi um momento de viragem. Sempre queria mudar de vida. De casa. De estilo. Tudo. Basicamente era como se fosse um recomeçar tudo de novo. 

Este ano não.
Este ano não quero mudar nada. Bem... óbvio que tenho coisas a mudar mas não será nada físico. 

Nestes dias de pouco trabalho e finalmente algum tempo livre para refletir (porque sim, esta altura do ano obriga a reflexões), tenho pensado no quanto mudei em 2015. Na pessoa que me tornei. E ainda ontem falei uma frase que hoje ficou a pairar na minha cabeça. "Sou uma monja contigo."
Sou mesmo. Sinto me com uma paz tão grande e boa cá dentro que acho que nunca me senti assim antes... esta leveza de espírito. Porque não há nada a esconder. Nada a enganar. Nada a omitir...

É tudo puro. É verdadeiro. E assumo quem sou. Quem fui. E quem quero ser daqui em diante.
É mágica a sensação. E só espero que dure sempre. Que seja sempre mais e melhor. E que todas as arestas que há ainda para limar que sejam como barro e se desfaçam depressa. Se moldem ao meu novo eu. E à pessoa que tenho ao meu lado. 

Estou orgulhosa de mim. De ser quem e como sou. E isso basta me para ser feliz.

 Foto tirada do Pinterest - ver mais aqui
 

Sem comentários: