quarta-feira, 20 de abril de 2016

Ansiedades.

Tenho a ansiedade em mim.

Vi num filme que a ansiedade é "a vertigem da liberdade"...

O corpo grita e não deixa a mente falar.

O coração bate e não oiço mais nada a não ser o medo insuportável da morte.

E quero morrer.

E deixo que a morte venha.

Mas a puta não vem. E logo de seguida fico calma. E bocejo.

E depois vem o medo.
E eu deixo-o vir.

Sinto tudo. Sinto tanto.

Sou a ansiedade. Sou a morte.

E no fim não sou nada.

Sem comentários: